Home » Test2

Test2

                   <object type="application/x-shockwave-flash" data="http://americasbesthaunts.com/find_americas_best_haunts.swf" width="620" height="400">
    <param name="movie" value="http://americasbesthaunts.com/find_americas_best_haunts.swf" />
                               <param name="wmode" value="transparent" />
                                                          <param name="quality" value="high" />

MATRÍCULA NA REDE MUNICIPAL DE SÃO GABRIEL COMEÇA NO DIA 17.

A matrícula para o ano letivo de 2018 na rede municipal de São Gabriel terá início na próxima quarta-feira, dia 17. De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, até o dia 19 de janeiro o processo é exclusivo para renovação de alunos da rede. A matrícula para novos alunos acontece entre os dias 22 e 24 de janeiro. Para garantir vaga, procure a escola mais próxima da sua casa. Não se esqueça de levar documentos pessoais da criança, comprovante de residência e histórico escolar ou declaração de escolaridade. A educação é a maior herança que os pais podem deixar para seus filhos!

CONFIRA O CALENDÁRIO DA MATRÍCULA 2018:

RENOVAÇÃO – 17, 18 e 19

NOVOS ALUNOS – 22, 23 e 24

Prefeitura Municipal – Nós fazemos uma São Gabriel melhor

América Dourada: Mutirão realiza ações de limpeza na entrada da cidade. 

O trabalho em América Dourada não para!

 

Nesta segunda-feira(15), a Prefeitura de América Dourada realizou um grande mutirão de limpeza e terraplanagem na entrada da cidade e ruas adjacentes. Varrição, poda, recolhimento de entulho e outras ações que vão deixar as ruas mais limpas e mais fácil de trafegar. A ação teve a parceria da Prefeitura de Presidente Dutra, que cedeu a Patrol para a execução das atividades.
As colaboradoras da limpeza pública também contribuiram com um trabalho efetivo e bem realizado, varrendo as ruas com capricho e dedicação. Com muito trabalho e ações que melhoram a qualidade de vida da população, América Avança!
Prefeitura de América Dourada: Aqui Começou a Nossa História

Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco realiza conferência para apresentar situação do Saneamento Básico de América.

Prefeitura é parceira nas ações e vai elaborar plano de saneamento em parceria com o comitê

Nesta segunda-feira(15), foi realizada a 1¤ Conferência Pública de apresentação da Situação do Saneamento Básico de América Dourada. O evento foi realizado na Câmara de Vereadores,e teve o objetivo de acatar a elaboração do Plano de Saneamento Básico, ferramenta importante que vai ajudar a manter oa mananciais livres das impurezas e preservado.
O Comitê da bacia do São Francisco vai contribuir para o município de América Dourada cumprir a Lei Federal 11.444/2007, que obriga a elaboração do plano, que além de oneroso é elaborado por profissionais especializados, e com essa parceria América vai conseguir realizar.
Com a aprovação deste documento, América Dourada terá um instrumento estratégico de planejamento e de gestão participativa, que vai ajudar na busca de recursos federais para investir em abastecimento de água potável, esgotamento sanitário, manejo de resíduos sólidos, drenagem e manejo de águas pluviais urbanas.
Será uma conquista importante, que é de interesse comum de toda sociedade, e poderes legislativo e executivo. A Prefeita Rose agradeceu a parceria e parabenizou todos os colaboradores envolvidos no projeto.
Com trabalho e compromisso com a população, América Avança!

 

Fotos: HFS/Higor Soares/ LSP

Prefeitura de América Dourada: Aqui Começou a Nossa História

Chocolate pode conter pedacinhos de barata?

chocolate-barata
15 maio 2017
É viciado em chocolate? Confira a opinião da PROTESTE sobre este assunto que está dando o que falar na Internet e descubra se existe ou não resquícios de barata no chocolate que você come.

Circulam boatos na Internet sobre a possibilidade de conter resíduos de baratas no chocolate. Mas será que essa notícia, não muito agradável, é verdadeira? Para desvendar este mistério a PROTESTE pesquisou a legislação sobre o assunto para deixar você informado sobre o que está consumindo com tanto prazer.

 

Segundo a legislação do ano 2000 do FDA (Food and Drugs Administration), órgão americano que faz o controle de alimentos e remédios, é permitido encontrar até 60 fragmentos de insetos, não apenas baratas, em 100 gramas de chocolate.

Já a legislação brasileira da ANVISA de 2014 permite apenas 10 fragmentos de insetos não indicativos de risco por 100 gramas de chocolate. Vale lembrar que a legislação do FDA é antiga e já deveria ter sido revisada.

 

O fato é que não é possível fazer este tipo de controle durante a produção do chocolate. Por mais que as empresas possam eliminar facilmente insetos inteiros ou pedaços grandes, não existem meios de identificar fragmentos microscópios.

 

Dessa forma, as empresas devem assegurar as boas práticas de fabricação, higiene e segurança para evitar esse tipo de contaminação.

 

Pois é praticamente impossível comer qualquer tipo de alimento, como queijos, biscoitos ou macarrão sem engolir partes de insetos, por melhor que sejam as condições de higiene de sua produção.

 

A preocupação dos consumidores com esta notícia ocorre por que muitos insetos podem transmitir doenças. Porém, não é preciso de alarde, já que estes pequenos pedaços de insetos são processados termicamente junto com o alimento, diminuindo sua carga microbiana até um nível seguro para o consumo. O que não pode ocorrer é a contaminação por insetos após esse processamento.

 

Porém, é preciso ficar atento, pois mesmo assim existe o risco de algumas pessoas manifestarem alergia após consumir chocolate ou outro alimento. E antes de pensar que a causa é o próprio produto, é importante consultar um especialista para investigar a verdadeira causa da alergia.

 

Mas se você não apresenta nenhum tipo de sintoma como irritação, urticária, enxaqueca ou asma ao consumir determinado alimento, não há necessidade de parar de consumi-lo mesmo que tenha “pedacinhos” de insetos.

Na verdade, todos nós ingerimos partes de insetos pelo simples ato de respirar. Por isso, não se preocupe demasiadamente com os fragmentos de insetos nos alimentos, pois não devem causar malefício a sua saúde.

 

Natural de João Dourado, jovem é morto a tiros em Luís Eduardo Magalhães.

Jelton ainda saiu correndo pela rua, mas foi alcançado pelos criminosos que efetuaram vários disparos.

Natural-de-Joo-Dourado-jovem-morto-a-tiros-em-Lus-Eduardo-Magalhes

O crime aconteceu na noite deste sábado (13), por volta das 21h30, na Rua J – bairro Vista Alegre – próximo ao Setor Industrial em Luis Eduardo Magalhães. Jelton de Souza Oliveira ‘Jel’, 22 anos, natural da cidade de João Dourado – região de Irecê – já tinha passagem pela polícia, segundo o Jornal Brreiras 24horas.

 

De acordo com informações da polícia, ‘Jel’ estava sentado na porta de sua residência quando foi surpreendido por dois homens em uma motocicleta Honda Biz, cor preta, que chegaram atirando. Jelton ainda saiu correndo pela rua, mas foi alcançado pelos criminosos que efetuaram vários disparos.

 

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionado, mas ao chegar ao local, o rapaz jáestava morto. A Polícia Militar esteve no local juntamente com a Polícia Civil, que já deu início às investigações sobre a autoria e motivação do crime.

 

O corpo da vítima foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Barreiras por uma equipe do Departamento de Polícia Técnica – DPT que esteve no local colhendo informações.

 

 

As informações são do jornal Barreiras 24 Horas

Brasil está na “sinuca de bico” !

Crédito da imagem: UOL
O ano de 2018 começou com a saia justa ente o ministro da Fazenda Henrique Meirelles e presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia. Ambos, o Meirelles e Maia, querem colocar a responsabilidade do rebaixamento da nota de classificação do Standard & Poor’s do “risco Brasil” um para o outro. A Agência manteve a classificação do Brasil no “grau especulativo” ou no “lixo”.

Seja como for, vou fazer minha previsão de indicadores da economia do País para o ano de 2018, como faço  todos os anos, no início do ano. Fazer previsão de números, diante da conjuntura política do País, não é tarefa tão fácil.  Os números apresentados abaixo, foram baseados na equivocada política econômica do ministro da Fazenda Henrique Meirelles.

1. PIB. O crescimento do País deverá confirmar a previsão do Meirelles de 2% a 2,5% em 2018. O rebaixamento da nota do Standard & Poor’s não deve influir significativamente no ritmo de crescimento do Brasil. Os indicadores apresentados em 2017 faz crer que a fase de “depressão” parece ter passado. O pior já passou, parece…

2. Inflação. A inflação corrente está em 2,75% ao ano. Tudo faz crer que o número será o menor do governo Temer. Os fatores positivos do ano de 2017 não devem repetir neste ano de 2018. A safra de verão 2017/18 deve apresentar queda na produção em cerca de 6%, segundo previsão do setor agrícola. A queda no preço dos alimentos não se repetirá. A inflação de 2017, resultado da queda de demanda ocorrido no final de 2016 não se repetirá neste início de 2018. Para piorar a situação da inflação, prevê-se a alta de preço  do petróleo no mercado internacional ao nível de US$ 80 o barril, do tipo Brente (leve) já nos próximos dias. O próprio Banco Central prevê a inflação para o final do ano em 4,5%. Tenho temor de que a inflação no final de 2018 volte ao nível de 6%, ou seja o dobro da inflação atual.

3. Desemprego. O ministro da Fazenda Henrique Meirelles prevê criação de 2,5 milhões de novos empregos. No entanto, o número é um tanto exagerado para o crescimento da economia entre 2% a 2,5% como o próprio ministro prevê. A criação de novos empregados com carteira assinada, para previsão de crescimento esperado não deverá passar de uma média mensal de 100 mil empregados, com carteira assinada ou seja 1,2 milhões no final de 2018. O meu número está compatível com o crescimento econômico previsto pelo próprio ministro da Fazenda Henrique Meirelles.

4. Taxa de juros Selic.  Com a classificação da nota de crédito do País em “grau especulativo” ou “junk” (lixo), a taxa de risco ou o juros reais não deve ser menor que 4% ao longo do ano. Com previsão de inflação, previsto pelo próprio Banco Central, em 4,5%, a taxa de juros Selic deverá terminar o ano em 8,5%. No entanto, a próxima taxa Selic do deverá ser cravado em 6,5%, ou seja 0,5% mais baixa que atual, para “honrar” a última previsão feita pelo próprio Banco Central.

5. Dólar. A política monetária equivocada do Banco Central, com respaldo do ministro da Fazenda Henrique Meirelles, deverá continuar com o “dólar baixo” ou o “real valorizado”. E o Brasil continuará gastando dólares que não temos ao invés de trazer os dólares para investimentos produtivos. Os preços dos produtos de consumo ser mais baixo em Nova York do que no Rio de Janeiro é um dos sintomas de que o dólar está baixo ou o real está valorizado.

6. Gastos públicos. O governo Temer continuará gastando o dinheiro que não tem. A previsão do “déficit primário” ou o “rombo fiscal” é de R$ 157 bilhões, conforme LDO de 2018. No entanto, o governo Temer está disposto a gastar mais do que o “rombo fiscal” previsto na LDO, para continuar comprando os parlamentares, na tentativa de aprovar o “remendo” da previdência.

7. Fator eleições. Todos os números apresentados acima poderão sofrer “fortes” alterações no decorrer da campanha para eleições presidenciais. Espero que os candidatos “salvadores da pátria” não criem expectativas falsas à população. O povo já está cansado de sofrer com expectativa de crescimento econômico sustentável.

8. Regra de ouro. Há uma forte crença de que a “regra de ouro” ou os atuais limites de gastos públicos não se mantenham para este e para os próximos anos. Brasil está mais uma vez na “sinuca de bico”.

Ossami Sakamori

Saiba sobre dívida pública federal

 

Henrique Meirelles e equipe econômica comemoram a taxa Selic, a mais baixa da história recente da economia brasileira. O mercado financeiro brasileiro fica animado com os números, mas no meu ponto de vista, a euforia não se justifica. A pedido de leitores, faço as considerações sobre os juros reais Selic brasileira, mais altos dentre as 40 maiores economia do mundo. Lendo a matéria vai entender as minhas ácidas críticas sobre a política econômica e monetária do País, que privilegiam os “agiotas internacionais” em detrimento dos “investidores do setor produtivo”.
Veja a relação dos juros da dívida pública dos 40 países mais expressivas do mundo, a última disponível, com mês de referência dezembro de 2017. Vocês podem pesquisar os “juros reais” de cada país e comparar com os do Brasil. Após a relação, continuo com a matéria.
1 Turquia 5,87%
2 Rússia 4,18%
3 Brasil 4,25%
4 Argentina 3%
5 Indonésia 2,26%
6 China 2%
7 México 1,61%
8 Índia 1,54%
9 África do Sul 1,46%
10 Colômbia 0,84%
11 Cingapura 0,73%
12 Tailândia 0,54%
13 Filipinas 0,46%
14 Nova Zelândia 0,12%
15 Canadá 0,06%
16 Chile 0,05%
17 Polônia -0,09%
18 Malásia -0,16%
19 Austrália -0,22%
20 Hong Kong -0,24%
21 Japão -0,47%
22 Coreia do Sul -0,52%
23 Israel -0,67%
24 Estados Unidos -0,88%
25 Suíça -1,12%
26 Taiwan -1,19%
27 Dinamarca -1,24%
28 República Tcheca -1,32%
29 França -1,35%
30 Grécia -1,45%
31 Holanda -1,54%
32 Itália -1,64%
33 Portugal -1,74%
34 Alemanha -1,93%
35 Reino Unido -2,06%
36 Hungria -2,15%
37 Suécia -2,18%
38 Espanha -2,22%
39 Áustria -2,22%
40 Bélgica -2,41%
Como pode ver pela relação, o Brasil se encontra na terceira posição em juros reais, atrás apenas da Turquia e Rússia. Se tomarmos os juros reais pagos pela China, a segunda potência econômica do mundo, um país emergente como o Brasil, vemos que a China pratica os juros reais a metade do Brasil. Os países classificados como desenvolvidos praticam juros reais próximos de zero ou “juros reais negativos”. O Brasil pratica “juros reais” uma das mais alta do mundo, apenas para ser os mais “bonzinhos”. O Brasil é “obrigado” a pagar os juros reais que atraiam os agiotas internacionais.
O percentual da dívida pública de 73% do PIB, no caso do Brasil, não é a questão mais aguda. Os Estados Unidos tem dívida pública equivalente a cerca de 110% do PIB e o Banco Central do Japão tem o saldo da dívida pública ao redor de 230% do PIB. No entanto, vocês podem notar que os Estados Unidos e o Japão praticam “juros reais negativos”, o que equivale a dizer que o carregamento da dívida interna não traz ônus reais.
Nos países com economia mais sólida, o povo comprar títulos da dívida do governo seria como refúgio para “perder menos” o poder de compra das suas poupanças.  No Brasil, a aplicação em títulos da dívida pública, com juros Selic de 7% e inflação corrente de 2,75%, rende juros reais de 4,25% ao ano. Para os agiotas internacionais (investidores especulativos) conseguir 4,25% ao ano, sem correr riscos inerentes ao setor produtivo é um verdadeiro achado. É isto que atrai os investidores estrangeiros em títulos da dívida pública do Tesouro Nacional. A credibilidade do Brasil está em baixa! Não é exatamente como quer fazer crer o ministro da Fazenda.
Não é sem justificativa que o Banco Central paga os juros reais a terceira maior do mundo. O Brasil usa dinheiro dos agiotas internacionais para cobrir o “déficit primário” ou o “rombo fiscal” do governo federal. Isto é, Brasil precisa de dinheiro dos agiotas internacionais para pagar as “despesas correntes” do governo federal, incluindo nessas despesas além das referente aos serviços essenciais, mas sobretudo das despesas de “emendas parlamentares” e de “gastos com partidos políticos”, entre outras.
O fato é que o Brasil não consegue pagar as despesas correntes do governo, muito menos as despesas referentes aos “juros da dívida pública” federal. Vamos lembar que a dívida pública bruta do governo federal anda por volta de R$ 4,5 trilhões. É só fazer a conta para chegar nas despesas com juros reais ou seja cerca de R$ 180 bilhões anuais. Os juros reais incide sobre a dívida pública bruta, aumentando cada vez mais o saldo da dívida pública federal que em termos reais, hoje, está em 73% do PIB.
O ministro da Fazenda Henrique Meirelles anunciou que vai mexer na “regra de ouro” do Orçamento fiscal. Traduzindo a fala do ministro Meirelles, significa que o Orçamento Fiscal de 2019 vai “estourar” o “teto dos gastos públicos” estabelecido pela Emenda Constitucional de 2016, ironicamente, do “teto dos gastos”. Como pode ver os juros da dívida pública “comem” mais do que as despesas de educação ou de saúde pública, individualmente.
Dá para ser feliz assim?
Ossami Sakamori

América Avança, e o trabalho não para!

América Avança, e o trabalho não para!

Na manhã desta quarta-feira(10), a prefeita Roze Dourado reuniu-se com as equipes de Projetos e Convênios para tratar da conclusão do Estádio de Soares e da Sede, ambos se encontram nos retoques finais, aguardando apenas licença ambiental dos poços artesianos para entrega da obra. A equipe formada pelos gestores de convênios, Lucas Vasconcelos e Edimar Cardoso, os engenheiros
Pedro Dourado e Paulo Héber, o projetista Ivan Gonçalves e o assessor técnico, Carlos Otávio, discutiu também sobre a programação de entrega da Quadra de Soares, obra já concluída e atestada pela Caixa Econômica Federal. Demandaram ainda sobre a construção de barragens e pavimentação de Ruas em Lagoa dos Borges, ambas através de convênios firmados com a CODEVASF.
Durante o encontro, foi colocado em pauta o cronograma de execução dos convênios celebrados em 2017 com previsão de início em 2018, a exemplo do Ginásio de Esporte na sede do município; Pavimentação de ruas em Ipanema e Pavimentação também na sede do município.
Na oportunidade a prefeita assinou 02 (dois) convênios com a FUNASA para construção de melhoria sanitárias domiciliares, no valor de R$ 460.000,00 (quatrocentos e sessenta mil reais), e construção de Sistema de Abastecimento de Água, no valor de R$. 1.010.000,00 (um milhão e dez mil reais).
Com muito trabalho e compromisso com a população, América avança!

Prefeitura de América Dourada: Aqui Começou a Nossa História

Entenda a “Regra de Ouro” do Meirelles.

Crédito da imagem: Veja
Não entendo o porquê da grande imprensa estar dando destaque às alterações na “regra de outro” comentada pela equipe econômica do governo Temer. Meirelles já afirmou que a discussão sobre alterações ficará para depois da votação da reforma de previdência e minimizou as possíveis necessidades do ajustamento. Concordo em parte com ele.
Como já explicado em matérias anteriores, a “regra de ouro” que balizava os gastos do governo estava contida na Lei de Responsabilidade Fiscal de 2000, que se tornou letra morta quando da aprovação da Emenda Constitucional do “teto dos gastos”. Aquela Emenda, aparentemente, era para limitar o volume de “gastos públicos correntes” aos níveis dos gastos de 2016, corrigido pelo IPCA para os anos subsequentes. No entanto a “regra de ouro” da Lei de Responsabilidade Fiscal de 2000, que previa o pagamento dos gastos públicos correntes incluído o pagamento de juros da dívida pública fossem cobertos com as receitas correntes, foi quebrada com a Emenda do “teto dos gastos”.

A Emenda do “teto dos gastos” aprovado pelo governo Temer, no apagar das luzes do ano de 2016, permite que o déficit primário ou o dinheiro que falta para cobrir despesas correntes fossem pagos com emissão de títulos da dívida do Tesouro.  O déficit primário de 2017 está a fechar em R$ 159 bilhões, previsto na LDO de 2017. O déficit primário de 2018 previsto na LDO de 2018 deverá ser de R$ 157 bilhões.
O governo Temer não anuncia acintosamente o “déficit nominal” da União, que inclui pagamento de juros da dívida pública, que é realmente o “dinheiro que falta” para fechar o Orçamento Fiscal da União. No entanto, o último número divulgado pelo Banco Central apresentava o valor da dívida pública do governo federal ascendia a 73% do PIB ou cerca de R$ 4,5 trilhões. À essa altura dos acontecimentos, com o “déficit primário” de 2018 previsto em R$ 157 bilhões e “déficit nominal”  não divulgado explicitamente pelo BC, a “regra de ouro” já foi quebrado há muito tempo!
Como disse o ministro da Fazenda Henrique Meirelles, a tão comentada “regra de ouro” é apenas “um detalhe” para ser adequado à gastança do governo, no seu devido tempo. No fundo, no fundo, o governo precisa “flexibilizar” a Emenda Constitucional do “teto dos gastos públicos”. Isto o Meirelles tem vergonha de assumir.
Ossami Sakamori

Livros digitais gratuitos ajudam empresários no gerenciamento dos negócios.

Os 30 e-books disponibilizados pelo Sebrae garantem uma ajuda extra para quem já é empreendedor ou quer abrir um negócio

Crédito: iStock

Pensando em uma vantagem a mais para os empreendedores, o Sebrae disponibiliza conteúdos completos em livros digitais, no formato de e-books. As soluções são gratuitas e estão disponíveis no site. Como garantir um bom relacionamento com o cliente, elaboração de um plano de marketing, guia completo para o Microempreendedor Individual (MEI) e vendas online estão entre os temas disponíveis para quem quer aprender mais.

Para ter acesso ao conteúdo, basta o empreendedor preencher os campos com as informações solicitadas. Em seguida, é aberta uma guia de validação, com um link exclusivo. Por meio dele, o usuário pode acessar e-books divididos em sete segmentos específicos: Gestão, Agroindústria, Marketing, Legislação, Finanças, Marketing e Logística. Os e-books serão disponibilizados continuamente para baixar quantos e quando quiser.

Os e-books de Marketing Digital vão orientar sobre como utilizar o Facebook como ferramenta auxiliar no crescimento dos negócios, revelando dicas de como criar e manter uma página na rede.

Em Finanças, o empreendedor pode entender, dentre outras coisas, o melhor o uso dos meios eletrônicos de pagamentos por meio de um guia prático. O tema exportação também está disponível para donos de pequenos negócios que projetam crescimento para além do país. Focando nos primeiros passos, o e-book detalha elementos como alfândega, redução da carga e requisitos legais.

O link para Agroindústria contempla livros virtuais sobre “Bovinos de leite” e “Caprinos e ovinos”, cada um com 27 páginas de variadas informações, desde saúde animal e reprodução até balanceamento de rações. Outro e-book da série é o “Manejo de pastagens”, que trata de formação e reforma da pastagem, cultivo de palma, etc.

Nara Zaneli